FUNDADO EM 1999…

PROAME
Projeto de Amor Misericórdia e Evangelismo

realiza um trabalho com dependentes químicos (alcoolismo, tabagismo e narcóticos)

auxiliando na recuperação do indivíduo e o reintegrando na sociedade há 21 anos.

São muitos os que já se recuperaram no PROAME e se reintegraram na sociedade como cidadãos comuns. Muitos se casaram e construíram famílias. Outros reconstruíram suas famílias, voltaram ao mercado de trabalho e até mesmo conquistaram casa própria. Alguns se tornaram missionários e pastores.

O trabalho realizado no PROAME tem feito diferença na vida do indivíduo e em nossa sociedade.

O PROAME aplica em sua metodologia o “PROGRAMA BÍBLICO DE REABILITAÇÃO”,
ou “P.B.R.”.

O P.B.R além de elevar a espiritualidade do aluno, trabalha a boa conduta e restaura o bom caráter do aluno, o que é de suma importância para a recuperação do indivíduo.

O PROAME não é uma clínica, mas uma casa terapêutica.

Acreditamos veemente que através da Palavra de Deus, a Bíblia o ser humano pode ser liberto e transformado.
Acreditamos veemente que através da Palavra de Deus, a Bíblia o ser humano pode ser liberto e transformado.


Todas as manhãs os acolhidos meditam na palavra de Deus para reflexão e assim, adquirir novos hábitos que trará uma real mudança positiva em seu caráter e elevando a sua espiritualidade.

Na parte da manhã e na parte da tarde nossos interno têm o tempo de laborterapia.
No tratamento para dependentes químicos, é recomendado que essas tarefas sejam ligadas diretamente com a rotina vivenciada na casa terapêutica.

Quais atividades podem ser desenvolvidas na laborterapia?

A laborterapia permite o desenvolvimento de uma série de atividades. 

No tratamento específico de dependentes químicos, a recomendação é de que essas tarefas tenham ligação direta com a rotina vivenciada no centro de reabilitação, para que o paciente se sinta incluído em toda a dinâmica.

Como a laborterapia pode ajudar um dependente químico?

A laborterapia é uma importante técnica de reeducação do paciente por meio da valorização do trabalho.

O ponto central das técnicas oferecidas é que o dependente químico possa ocupar o seu tempo com atividades que privilegiem o autocuidado e o zelo por si e pelo ambiente no qual está vivendo naquele momento.

Você talvez já tenha ouvido a expressão que diz que “o ócio é a oficina do diabo”. 

Aqui, ela faz todo o sentido: quando não existe um propósito ou algo com que ocupar o tempo, aumentam as chances de uma recaida e a vontade de consumir drogas.

Por meio da terapia ocupacional, é possível dar um novo sentido para a rotina do paciente, deixando seus pensamentos focados em atividades diárias agradáveis, que fazem parte da rotina natural de qualquer pessoa. 

Essa abordagem terapêutica colabora ainda com o processo de aceitação da própria realidade, o que ajuda o paciente a lidar melhor com seus problemas e a valorizar a importância dos amigos e da família.

Isso sem falar da possibilidade de o indivíduo desenvolver novas competências e, quem sabe, descobrir uma vocação ou um hobby favorito.

Todos esses elementos colaboram para o resgate de um aspecto vital para o tratamento de dependentes químicos: a autoestima.
Já falei sobre ela, mas nunca é demais citar essa motivação pessoal mais uma vez. 
Aliás, ela é uma das responsáveis para que o paciente siga com determinação o tratamento, até o fim.


fonte: https://www.gruporecanto.com.br/blog/como-a-laborterapia-pode-ajudar-os-dependentes-quimicos/